Hamilton vence em Spa

Hamilton Spa 2015
Com Rosberg na segunda posição, a Mercedes garantiu na Bélgica mais uma dobradinha num Grande Prémio em que Grosjean terminou em terceiro.

Lewis Hamilton venceu este domingo o GP da Bélgica em Fórmula 1, corrida realizada em Spa-Francorchamps em que a Mercedes continuou a mostrar o seu domínio na Fórmula 1, com Hamilton e Rosberg a garantirem uma dobradinha para o construtor germânico, num pódio que ficou completo com a presença de Romain Grosjean, da Lotus, no degrau referente ao terceiro posto, conquistado a menos de duas voltas do fim quando Sebastien Vettel, da Ferrari, foi obrigado a desistir com um pneu traseiro do seu monolugar rebentado. Os homens da Mercedes dominaram desde o arranque e apenas sobrou interesse para se saber quem iria acompanhar Hamilton e Rosberg na subida ao pódio.

No comando desde o arranque, Lewis Hamilton apenas durante uma volta perdeu a frente da corrida, depois de ter ido às boxes para trocar pneus, quando permitiu que o seu companheiro Nico Rosberg ascendesse à liderança. Só que logo depois foi Rosberg quem teve de parar para trocar os pneus do seu monolugar e Hamilton regressou normalmente à frente da corrida. Já com o novo sistema de largada agora imposto na Fórmula 1, o piloto da Mercedes não se assustou e partiu na frente. Quem tirou realmente partido do arranque acabou por ser o mexicano Sérgio Perez, que subiu para a segunda posição, cumpriu uma boa prova e veio a terminar na quinta posição final.

Ainda em relação a Hamilton, cada vez mais líder do Mundial de Pilotos no presente Campeonato FIA de Fórmula 1, tem agora 227 pontos depois da prova deste domingo, surgindo atrás de si Nico Rosberg com 199 pontos, estando os dois homens da Mercedes já bem distantes do mais directo perseguidor, que na circunstância é o alemão da Ferrari, Sebastiel Vettel, que mantém os mesmos 160 pontos que tinha à chegada a Spa, onde não pontuou depois de ver um pneu traseiro do seu Ferrari rebentar na penúltima volta da corrida, quando seguia na terceira posição, acabando por cair para o 12º lugar final.

Ainda a propósito da forma como decorreu a prova, referência para o facto de Nico Rosberg ter caído no arranque para a quinta posição, sendo obrigado a uma recuperação que fez efectivamente, muito por via da melhor qualidade do seu monolugar. Já Vettel, também ele com uma excelente recuperação ao longo da corrida, chegou à terceira posição que procurou aguentar até ao final optando por uma estratégia de menos uma paragem nas boxes. Só que foi uma opção de risco que não teve o melhor resultado já que os pneus do Ferrari não aguentaram, nomeadamente o pneu traseiro do lado direito, que rebentou a meio da penúltima volta.

Quem tirou o melhor partido do azar de Vettel foi o francês Romain Grosjean, da Lotus, que depois de sair na nona posição da grelha, penalizado por uma punição, teve um dia inspirado que lhe permitiu as ultrapassagens suficientes para terminar na terceira posição e o consequente lugar no pódio, garantido também com a sorte que lhe sorriu por via do azar de Vettel. Outros pilotos tiveram nesta prova em Spa corridas menos conseguidas, como o brasileiro Felipe Massa, em Williams, que caiu para nono na largada acabando ainda assim por recuperar e terminar na sexta posição. Por falar em Williams, a nota negativa vai mesmo para esta escuderia que, com o outro piloto da escuderia, Valtteri Botas, numa troca de pneus, colocou três pneus macios e um pneu médio no monolugar do piloto finlandês. Para além de ser prejudicado pela menor prestação do seu Williams, Bottas teve ainda que cumprir uma passagem suplementar pelas boxes, punido pela Direcção de prova, e acabou por cair para um nono lugar final.

Para a história fica a classificação final deste Grande Prémio da Bélgica em F1…

1. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes) – 43 voltas em 1h23min40s387
2. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 2s058
3. Romain Grosjean (FRA/Lotus) – a 37s988
4. Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) – a 45s692
5. Sergio Perez (MEX/Force India) – a 53s997
6. Felipe Massa (BRA/Williams) – a 55s283
7. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) – a 55s703
8. Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) – a 56s076
9. Valtteri Bottas (FIN/Williams) – a 1min01s040
10. Marcus Ericsson (SUE/Sauber) – a 1min31s234
11. Felipe Nasr (BRA/Sauber) – a 1min42s311
12. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) – a 1 volta
13. Fernando Alonso (ESP/McLaren) – a 1 volta
14. Jenson Button (GBR/McLaren) – a 1 volta
15. Roberto Merhi (ESP/Marussia) – a 1 volta
16. Will Stevens (GBR/Marussia) – a 1 volta

Não completaram a prova:

Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso)
Pastor Maldonado (VEN/Lotus)
Nico Hulkenberg (ALE/Force India)
Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull)

Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*