Falha informática impede emissão de matrículas

mercado-automovel
No mês em que tradicionalmente o mercado automóvel provoca elevados níveis de emissões de matrículas o sistema está parado por avaria.

A emissão de matrículas para veículos novos está parada há três dias, devido a uma avaria no sistema informático do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) . O esclarecimento foi feito pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), através do seu secretário-geral, Hélder Pedro, segundo o qual o IMT deixou de emitir novas matrículas desde segunda-feira, o que está a paralisar o sector automóvel.

A procura dos consumidores por negócios no sector automóvel, muitos deles a quererem no corrente mês de Dezembro antecipar a aquisição de automóveis e desse modo “contornarem” o agravamento do Imposto Sobre Veículos (ISV) que irá acontecer em Janeiro, provoca normalmente uma subida das vendas neste último mês do ano, motivo pelo qual esta avaria informática está a impedir o ritmo normal de um mercado que vindo a registar valores bem mais elevados do que em 2013.

Em nota difundida pela ACAP surge a referência a “uma nova avaria, agora no sistema informático do IMT”. “De acordo com informações do Departamento de Informática do IMT, o Sistema Informático de Veículos e Homologações não consegue processar os ficheiros provenientes da Autoridade Tributária”, esclarece a aquela nota da ACAP numa altura em que muitos construtores procuram fechar o seu ano de actividade dentro dos objectivos determinados no início do presente exercício.

A ACAP teve indicações que os “técnicos do IMT estão a tentar resolver o problema, no entanto, não conseguem fazer ainda um diagnóstico e muito menos dar uma previsão sobre a sua resolução”. Da parte do IMT ainda não houve qualquer esclarecimento sobre este problema, isto numa altura em que começa a existir uma asfixia da actividade comercial já que os consumidores compram, pagam os impostos e depois não podem levar as viaturas. Por via disso, e porque os clientes de muitos construtores, ainda de acordo com a ACAP, começam já a optar por não comprar enquanto a situação não estiver corrigida, a Associação Automóvel de Portugal já apresentou uma reclamação ao IMT, devendo comunicar nas próximas horas o problema à tutela, a secretaria de Estado dos Transportes.

Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*